The Dinner Party, a primeira grande obra feminista da história, por Judy Chicago

“The Dinner Party” foi a primeira grande obra feminista da história. Na instalação, a artista americana Judy Chicago homenageia 1308 mulheres que tiveram importantes papéis ao longo da história da humanidade, muitas das quais tiveram seus nomes esquecidos, apagados, ou menos valorizados em relação a feitos masculinos. Uma verdadeira história simbólica das mulheres na civilização, este banquete foi apresentado pela primeira vez em 1979, em uma mesa com 39 lugares com formato de triângulo equilátero - os três lados iguais - o que representa a igualdade em torno da mesa (diferente, por exemplo, das mesas medievais onde o status era representado pelo lugar em que cada um se sentava). Em cada lado do triângulo, são posicionados 13 lugares, o que também faz referência a um dos banquetes mais celebrados da história, onde apenas 13 homens foram convidados - a santa ceia. Em um lado do triângulo, estão nomes femininos de deusas e personagens históricas da pré história até o império romano. No segundo lado, nomes que remontam aos primórdios do cristianismo até a reforma e no último, nomes que vão da revolução americana até o movimento feminista. Cada lugar na mesa possui uma toalha com o nome de cada mulher bordado, um cálice, talheres, guardanapo e um prato de cerâmica, no qual é representada, em sua maioria, uma vulva com cores que lembram cada uma das homenageadas. A mesa fica disposta sobre um piso de azulejos brancos com outros 998 nomes de mulheres emblemáticas. Hoje, a instalação se encontra permanentemente no Elizabeth A. Sackler Center for Feminist Art, Brooklyn Museum, em Nova Iorque, EUA.