"Tea, Earl Grey, Hot", a bebida de Star Trek

"Tea, Earl Grey, Hot": a bebida favorita de Jean-Luc Picard, o capitão da USS Enterprise de Star Trek, é também um dos meus chás favoritos. Floral, cítrico, com leve amargor final, o Earl Grey, uma combinação de chá preto com óleo de bergamota, ganhou fama na Inglaterra. Nomeado em homenagem a Charles Grey, o 2º Earl (conde) Grey, primeiro-ministro britânico na década de 1830, autor da Lei da Reforma de 1832 e da Lei da abolição da escravidão de 1833, ninguém sabe ao certo o porquê da associação do conde à bebida. Reza a lenda que ele recebeu de presente um chá aromatizado com óleo de bergamota, para comemorar o fim do monopólio mantido pela Companhia das Índias Orientais e gostou tanto que levou a fama. Outra versão conta que a mistura foi criada acidentalmente em um carregamento de chá e de bergamotas que havia sido encomendado por alguns diplomatas - aparentemente o aroma da fruta penetrou as folhas e “voilá”. Dizem também que era comum misturar cascas de cítricos ou pétalas de flores em chás para compensar o sabor mineral da água na Inglaterra ou, ainda, disfarçar a baixa qualidade do chá que muitas vezes chegava ao país. Seja lá qual for a história verdadeira, o Earl Grey tornou-se extremamente popular na Grã-Bretanha no final de 1800 devido a Richard Twining, diretor da Companhia das Índias Orientais e chefe da Twinings, - hoje uma das mais famosas marcas de chás - que foi a primeira a comercializar a mistura pelo mundo afora.