A história do Queijo

"Enquanto ouvia as explicações, o tal odor parecia ser dos tais que, de tão espessos, são coisas que podem ser apalpadas e até cortadas à faca como certos queijos célebres pelos cheiros fortes, que, sentidos de longe pelos gourmets, lhes dão verdadeiros gozos ao paladar por pura antecipação" disse Gilberto Freyre.


Queijo: talvez, para mim, uma das únicas coisas que quanto mais fedido melhor. Tive essa discussão por anos com um ex namorado que detestava queijos fedidos e eu ficava tentando convencê-lo da preciosidade destas iguarias. Gosto não se discute? Não sei não rs… Se algo é bom não consigo descansar até provar o contrário à aqueles que sei que possuem um paladar em potencial. Não teve jeito… o namoro acabou e ele ainda troca fácil um "epoisses" por uma mussarela (epoisses é um queijo tão fedido que, reza a lenda, foi banido do transporte público na França). Ahh, nada como entrar em uma loja de queijos e respirar fundo aquelas bactérias penetrantes que fazem a boca salivar -a maravilha da combinação do aroma pungente com o cremoso na boca.


Não se sabe ao certo quando foi feito o primeiro queijo da História. Provavelmente diferentes povos já faziam queijo em muitas regiões na antiguidade, deixando leite em bolsas de couro, vasos de cerâmica ou caixas de madeira, que se tranformavam em uma espécie de queijo macio que, segundo historiadores, era bastante ácido e mal cheiroso. Os romanos antigos já tinham técnicas bastante sofisticadas de preparar queijos. Na Idade Média, os mosteiros, além de promoverem atividades culturais, cultivavam produtos agrícolas e produziam alguns dos melhores alimentos da história, como cerveja, vinhos e queijos. Inclusive, muitos nomes de queijos hoje em dia são associados aos monastérios desta época.


Com a vinda de europeus ao "Novo Mundo", as técnicas de produção de queijos se disseminaram possibilitando receitas regionais. No Brasil hoje, temos queijos artesanais de altíssima qualidade que deixam muitos franceses no chinelo (né @pardinhoartesanal?). Os queijos brasileiros, como falou @aqueijaria, hoje "têm nome, sobrenome, qualidade, técnica do pasto à maturação, e principalmente valorizam seu território, criam identidade local."