Poemas gastronômicos da China Antiga

Muitos poetas escreveram sobre comida na China desde a Antiguidade. Com metáforas e alegorias sobre o cultivo, preparo, celebrações, ritos ancestrais e sobre os prazeres e dores da fome, os alimentos aparecem na poesia chinesa desde os primeiros versos antigos que conhecemos.


📜 O poema do historiador Shen Yue (441-513 dC), no livro "Book of Song", escrito em 492–493, fala sobre uma refeição compartilhada com a amada:


"Lembro-me das vezes que ela comia,

Acima dos pratos mudando sua expressão,

Começando a sentar e então com vergonha de sentar,

Começando a comer e então com vergonha de comer,

Segurando pequenos pedaços na boca como se não estivesse com fome,

Erguendo a xícara como quem perdeu as forças."


📜 Outro poema, do famoso poeta Du Fu (712 d.C - 770 d.C), fala sobre uma sopa de folhas de Acácia do Japão (Sophora japonica) e como ele pensa em comer tudo, mas, no final, resolve compartilhar com os amiguinhos:


"Verdes são as folhas altas da Acácia do Japão,

nós arrancamos e as enviamos para a cozinha.

Macarrão fresco do mercado próximo,

são combinados com o suco e as folhas esmagadas.

Eles são colocados na chaleira para garantir que sejam feitos rapidamente,

Eu como mais, temendo que acabe logo.

O frescor esmeralda brilha nos pauzinhos,

arroz perfumado junto com brotos de bambu.

Passando meus dentes está mais frio que a neve,

Encorajo os outros, oferecendo-o como pérolas." ❤


🎎 Foto: Um concerto no palácio. Anônimo, Dinastia Tang (618-907)