Paladar, audição e tato: Jan Brueghel o Velho

Paladar, audição e tato, obra de 1620 do pintor flamengo Jan Brueghel o Velho (1568 – 1625) filho de Pieter Brueghel, um dos principais nomes do barroco flamengo ao lado de Peter Paul Rubens. Na obra os convidados do jantar simbolizam três dos cinco sentidos: carinho em um mink (vison) simboliza tato, música e crianças cantando, audição. Paladar com esta sortuda prestes a atacar um banquete de ostras, lagostas, aves, torta de pavão, frutas, alcachofras... Este quadro foi encomendado ao pintor como um presente aos arquiduques Alberto VII e Isabel da Áustria, mas foram perdidos em um incêndio no Palácio de Bruxelas em 1731 deixando hoje apenas uma réplica no Museu do Prado em Madrid.