Japão: história do Wasabi

O wasabi servido na (grande) maioria dos restaurantes do mundo é, na verdade, uma mistura de horseradish com corante verde. 🎋 O autêntico "Wasabia Japonica" é super difícil de cultivar, o que o torna uma das plantas mais caras do mundo: 1kg de wasabi fresco pode custar fácil 250 dólares. Esta planta semi-aquática é nativa das montanhas do Japão central e demora anos para se desenvolver, mesmo nas condições mais adequadas.

Foto: fazenda de wasabi na Península Izu, Japão


A primeira menção ao wasabi foi no período Heian (794-1185), na primeira enciclopédia japonesa de plantas medicinais. Mas dizem que o wasabi foi cultivado pela primeira vez no período Edo (1603-1868), em Utoqi no Japão. Utogi, hoje Shizuoka, foi fundada durante a era Keicho (1596-1615) as beiras do rio Abe, primeiro lugar que se tem notícia de uma plantação de wasabi. Um tempo depois, na Península Izu (este lugar aí das fotos), ao lado de Shizuoka, um método de cultivo da planta foi desenvolvido por um fazendeiro local e, assim, nasceu um dos wasabi mais especiais do mundo.


O método Tatamiishi (das fotos), é uma forma sustentável de plantar wasabi ao longo do rio, criando um sistema de pequenos espaços limitados de terra, repleto de pedras grandes no fundo do solo e pedrinhas e areia no topo para, assim, filtrar o grande volume de água doce que emerge toda a plantação (quem quiser saber google: Traditional Wasabi Cultivation in Shizuoka).


Ano passado foi lançado o documentário Wasabia Japonica do diretor Edwin Lee contando a história de Shigeo Iida, um produtor de wasabi da península Izu, oitavo da geração de fazendeiros de sua família. No documentário Iida explica a diferença do verdadeiro wasabi com as tão frequentes imitações: “O wasabi de verdade, como os que cultivamos, tem um sabor único e perfumado que primeiro atinge o nariz. A doçura vem depois e, em seguida, finalmente, a picância”.


Vale muito a pena fazer este passeio no Japão, a fazenda é aberta ao público, fica numa área linda repleta de ryokans, banhos termais e a vista do Monte Fuji (2hs de Tóquio). Fora a lojinha ali perto com produtos ultra artesanais de #wasabi : conserva do talo, wasabi com missô, yuzu, em conserva, no sorvete, nos docinhos. Só amor.