Catarina a Grande e seu vício em café

A imperatriz russa Catarina II (1729-1796) ou Catarina a Grande, como ficou conhecida, era uma grande apreciadora de café. Dizem que o vício era tanto, que ela começava todas as manhãs com duas xícaras seguidas de água quente misturada a 6 colheres de café moído em cada. No século XVIII o café era considerado uma bebida exclusivamente masculina, o que tornou ainda mais forte a figura da imperatriz. Reza a lenda que o secretário de Estado Sergei Kozmin experimentou uma vez o café de Catarina e teve a frequência cardíaca tão aumentada que teve que sair correndo para um médico tamanha potência da bebida.

☕ Nas fotos, o famoso Cameo service - as louças de Catarina II, pertencentes a um jogo de 700 peças compradas em 1777 pela imperatriz para seu amante, o príncipe Grigory Potemkin, feitas pela fábrica Manufacture nationale de Sèvres, na França (as louças mais caras feitas por eles no século XVIII). Hoje a louça avaliada em 4 milhões de dólares pertence a coleção do Hermitage.