A história do Carnaval

Carnelevarium: se abster de carne em latim. ūüéä


O carnaval surgiu como um festivo intervalo de liberdade antes da quaresma. Na Idade Média se tinha o costume de comer muuuito nesse período para compensar os dias difíceis e esfomeados que estavam por vir.

Foto: minha família em 1963, embora eu só reconheça minha avó nessa foto, em um almoço de carnaval na casa dela.


Mas antes disso o carnaval j√° existia em festivais primitivos que reverenciavam o renascimento da natureza e em festivais pag√£os em homenagem a Saturno, na Roma antiga.


No Brasil, o carnaval come√ßou no s√©culo XVII com o Entrudo Portugu√™s (entrudo: in√≠cio, come√ßo, abertura da Quaresma), uma festa com enormes bonecos que desfilavam nas ruas, pessoas com rostos pintados e brincadeiras de jogar farinha, √°gua, ovos, lim√£o, caf√©, groselha, lama e at√© urina umas nas outras ‚Äď o que fez a festa ser considerada violenta pela elite colonial.

Foto: Jogos durante o entrudo no Rio de Janeiro. Aquarela de Augustus Earle, c.1822.


Por volta do s√©culo XIX a mesma elite que reprimia os entrudos criou os famosos bailes de carnaval que aconteciam em teatros e clubes privados repleto de pompa, m√ļsica e coquet√©is abundantes. Nessa √©poca surgiram tamb√©m as marchinhas, que ganharam fama m√°xima com o cl√°ssico Abre-alas de Chiquinha Gonzaga.

Foto: Jean Baptiste Debret. Carnaval. 1827.

Foto: Pieter Bruegel, Luta entre o Carnaval e a Quaresma, 1559. Kunsthistorisches Museum de Viena

Foto: Bloco de rua Inocentes do Valadares, c. 1960 por Marcel Gautherot - Instituto Moreira Salles

Augusto Malta. Carnaval na avenida Central, atual avenida Rio Branco, c. 1906. Rio de Janeiro, RJ / Acervo IMS.